Billabong Pro Tahiti começa com três vitórias do Brasil em Teahupoo

By abrasp | 21 de agosto de 2016 | Notícias

A etapa mais desafiadora do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour foi iniciada no segundo dia do seu prazo e três brasileiros estrearam com vitórias no mar inconstante do sábado nos tubos de Teahupoo. A primeira foi conquistada pelo potiguar Italo Ferreira, a segunda pelo finalista do Billabong Pro Tahiti nos dois últimos anos, Gabriel Medina, com o vencedor da triagem, Bruno Santos, despachando o número 1 do Jeep WSL Leader, Matt Wilkinson, para a repescagem. E logo na primeira rodada eliminatória, três duelos 100% verde-amarelos foram formados pelos resultados do sábado, então três certamente se classificarão para a terceira fase, mas três serão eliminados em último lugar na prova que abre a segunda metade da corrida pelo título mundial da World Surf League.

Italo Ferreira (Foto: Poullenot / WSL)
Italo Ferreira (Foto: Poullenot / WSL)

O Billabong Pro Tahiti começou com baterias muito fracas de ondas, sem tantos tubos na perigosa e temida bancada de Teahupoo. O sul-africano Jordy Smith ganhou a primeira por apenas 8,00 pontos, com o havaiano Dusty Payne não conseguindo surfar nenhuma onda sequer. Na segunda, o potiguar Italo Ferreira achou dois bons tubos para conquistar a primeira vitória brasileira por 13,50 sobre o havaiano Keanu Asing e o norte-americano Kanoa Igarashi.

“Estou muito feliz por conseguir passar direto para a terceira fase”, disse Italo Ferreira. “Eu competi numa hora difícil do mar e tentei ficar o mais profundo possível nos tubos que peguei. Certamente as condições vão melhorar para os próximos dias e o bom é que já estou classificado. Espero continuar avançando para conquistar um bom resultado aqui”.

As outras duas baterias tiveram participação dupla do Brasil. Na terceira do dia, o australiano Kai Otton atingiu 14,33 pontos para derrotar o atual campeão mundial, Adriano de Souza, além do também paulista Miguel Pupo. Os dois ainda têm outra chance de classificação para a terceira fase. Mineirinho vai disputar um dos três duelos verde-amarelos da primeira rodada eliminatória do Billabong Pro Tahiti, contra o também paulista Alex Ribeiro na segunda bateria. Já Miguel Pupo vai brigar pela última vaga para a terceira fase com Kanoa Igarashi.

Gabriel Medina (Foto: Poullenot / WSL)
Gabriel Medina (Foto: Poullenot / WSL)

Finalista nos tubos mais temidos do mundo nos dois últimos anos, o campeão mundial de 2014, Gabriel Medina, confirmou o favoritismo contra o americano Conner Coffin e Alex Ribeiro, que continua sem vencer nenhuma bateria neste seu primeiro ano na divisão de elite da World Surf League. Medina é um dos três únicos surfistas que brigam pela liderança do ranking no Billabong Pro Tahiti e surfou o melhor tubo do dia até ali para garantir sua passagem direta para a terceira fase por 13,60 pontos com a nota 8,0 recebida nessa onda.

“Teahupoo é uma onda divertida e eu amo pegar tubos”, disse Gabriel Medina. “Estou me sentindo bem, estou hospedado numa boa casa de uma família daqui do Taiti que faz com que me sinta como se estivesse na minha própria casa. Eu não sinto qualquer pressão quando venho aqui. É um lugar muito bom, com boas ondas, boa comida e pessoas super agradáveis. Tudo isso me deixa mais confortável e eu adoro vir ao Taiti”.

MELHORES DO DIA – Na disputa seguinte, os tubos apareceram para o havaiano John John Florence fazer os recordes do campeonato com notas 9,40 e 9,00 na melhor hora do mar em Teahupoo no sábado. No último confronto do dia, Adam Melling bateu uma das marcas do número 2 do Jeep WSL Leader num tubaço incrível que valeu nota 9,67 na vitória sobre dois brasileiros, Filipe Toledo e Wiggolly Dantas. Mas, o australiano não superou os 18,40 pontos do havaiano, ficando com o segundo maior placar do dia, 17,67 de 20 possíveis.

John John Florence (Foto: Poullenot / WSL)
John John Florence (Foto: Poullenot / WSL)

“Esse resultado me dá mais confiança ainda para as próximas fases”, disse John John Florence. “Entrei em um bom ritmo com o primeiro tubo e em seguida peguei outro maior ainda, então estou muito feliz por ter conseguido tirar duas notas excelentes. Ter a chance de surfar esses tubos perfeitos com apenas três caras dentro d´água é insano. Só em ficar lá fora e poder pegar boas ondas é incrível, então me sinto mais animado do que pressionado em conseguir um bom resultado. Eu só quero surfar bons tubos nas baterias, sem qualquer pressão”.

JEEP WSL LEADER – Dos três surfistas que brigam pela liderança do ranking nesta etapa, o único que estreou com derrota foi o número 1 do Jeep WSL Leader, Matt Wilkinson. Campeão do Billabong Pro Tahiti em 2008, o niteroiense Bruno Santos voltou a vencer a triagem esse ano e surfou os melhores tubos da bateria para superar o lycra amarela e o também australiano Stu Kennedy por 11,90 pontos. Matt Wilkinson agora vai abrir a repescagem contra o taitiano Hira Teriinatoofa e, se ganhar dele, voltará a enfrentar Bruno Santos na terceira fase.

“Eu amo o Tahiti, não apenas Teahupoo, mas o Tahiti mesmo”, disse Bruno Santos. “Com certeza, é a minha onda preferida no mundo e eu adoro este lugar e o povo daqui. Eu me sinto confiante no Tahiti porque todos os meus melhores resultados eu consegui aqui. Para mim, a triagem é como um aquecimento e faz você se sentir melhor e mais forte. É sempre difícil surfar contra os melhores do mundo e os primeiros do ranking, então estou muito feliz por ter começado com vitória, surfando bons tubos na bateria”.

Bruno Santos (Foto: Poullenot / WSL)
Bruno Santos (Foto: Poullenot / WSL)

Essa vitória de Bruninho foi a terceira e última do Brasil na primeira fase classificatória. Depois dele, o potiguar Jadson André, o catarinense Alejo Muniz e o paulista Caio Ibelli ficaram em último nas suas baterias. E na que fechou o sábado, Filipe Toledo e Wiggolly Dantas foram derrotados pelo australiano Adam Melling, que surfou o melhor tubo do dia em Teahupoo para conquistar a última classificação direta para a terceira fase do Billabong Pro Tahiti.

SEGUNDA FASE – Com a combinação dos resultados do sábado, três duelos 100% brasileiros acabaram sendo formados logo na primeira rodada eliminatória do Billabong Pro Tahiti. O atual campeão mundial Adriano de Souza vai enfrentar Alex Ribeiro na segunda bateria. Depois, tem Filipe Toledo contra Jadson André na sexta e Wiggolly Dantas contra Alejo Muniz na sétima. Apenas dois vão competir contra surfistas de outros países. Caio Ibelli pega o australiano Matt Banting na quinta bateria e a 12.a e última será entre Miguel Pupo e o americano Kanoa Igarashi.

O prazo do Billabong Pro Tahiti começou na sexta-feira, dia 19, e vai até o dia 30 de agosto, com a sétima das onze etapas do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e com grande divulgação também pelos parceiros de mídia da World Surf League: ESPN, Globosat e Sportv no Brasil, Fox Sports da Austrália, CBS Sports dos Estados Unidos, Edgesport, Sky NZ, Canal + Deportes, Channel Nine, MCS, Starhub e Oceanic Time Warner Cable 250 & 1250 no Havaí. A primeira chamada do domingo foi marcada para as 7h30 no Taiti, 14h30 pelo fuso horário de Brasília.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG PRO TAHITI – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Jordy Smith (AFR)=8.00, 2-Ryan Callinan (AUS)=3.27, 3-Dusty Payne (HAV)=0.00

2.a: 1-Italo Ferreira (BRA)=13.50, 2-Keanu Asing (HAV)=7.40, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=5.34

3.a: 1-Kai Otton (AUS)=14.33, 2-Adriano de Souza (BRA)=5.33, 3-Miguel Pupo (BRA)=4.66

4.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=13.60, 2-Conner Coffin (EUA)=5.60, 3-Alex Ribeiro (BRA)=3.47

5.a: 1-John John Florence (HAV)=18.40, 2-Davey Cathels (AUS)=12.33, 3-Hira Teriinatoofa (TAH)=4.50

6.a: 1-Bruno Santos (BRA)=11.90, Matt Wilkinson (AUS)=8.50, Stu Kennedy (AUS)=7.37

7.a: 1-Kelly Slater (EUA)=15.00, 2-Michel Bourez (TAH)=14.83, 3-Matt Banting (AUS)=9.30

8.a: 1-Jeremy Flores (FRA)=11.43, 2-Julian Wilson (AUS)=8.20, 3-Nat Young (EUA)=5.33

9.a: 1-Sebastian Zietz (HAV)=16.07, 2-Josh Kerr (AUS)=12.03, 3-Jadson André (BRA)=10.44

10: 1-Adrian Buchan (AUS)=12.00, 2-Joel Parkinson (AUS)=5.87, 3-Alejo Muniz (BRA)=2.96

11: 1-Kolohe Andino (EUA)=13.50, 2-Jack Freestone (AUS)=12.80, 3-Caio Ibelli (BRA)=8.70

12: 1-Adam Melling (AUS)=17.67, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=12.24, 3-Filipe Toledo (BRA)=9.10

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 9.500 de prêmio:

1.a: Matt Wilkinson (AUS) x Hira Teriinatoofa (TAH)

2.a: Adriano de Souza (BRA) x Alex Ribeiro (BRA)

3.a: Michel Bourez (TAH) x Keanu Asing (HAV)

4.a: Julian Wilson (AUS) x Ryan Callinan (AUS)

5.a: Caio Ibelli (BRA) x Matt Banting (AUS)

6.a: Filipe Toledo (BRA) x Jadson André (BRA)

7.a: Wiggolly Dantas (BRA) x Alejo Muniz (BRA)

8.a: Joel Parkinson (AUS) x Jack Freestone (AUS)

9.a: Josh Kerr (AUS) x Stu Kennedy (AUS)

10: Nat Young (EUA) x Davey Cathels (AUS)

11: Dusty Payne (HAV) x Conner Coffin (EUA)

12: Kanoa Igarashi (EUA) x Miguel Pupo (BRA)

TOP-22 DO JEEP WSL RANKING – após a sexta etapa na África do Sul:

1.o: Matt Wilkinson (AUS) – 34.250 pontos

2.o: John John Florence (HAV) – 31.900

3.o: Gabriel Medina (BRA) – 29.200

4.o: Adriano de Souza (BRA) – 24.400

5.o: Mick Fanning (AUS) – 23.450

6.o: Italo Ferreira (BRA) – 22.250

7.o: Jordy Smith (AFR) – 21.200

8.o: Michel Bourez (TAH) – 20.700

9.o: Julian Wilson (AUS) – 20.000

10: Sebastian Zietz (HAV) – 19.750

11: Adrian Buchan (AUS) – 19.700

12: Caio Ibelli (BRA) – 19.450

13: Filipe Toledo (BRA) – 18.450

14: Wiggolly Dantas (BRA) – 18.400

15: Kolohe Andino (EUA) – 16.450

16: Joel Parkinson (AUS) – 16.200

17: Josh Kerr (AUS) – 15.000

18: Nat Young (EUA) – 14.900

19: Kelly Slater (EUA) – 14.450

20: Dusty Payne (HAV) – 13.200

21: Kanoa Igarashi (EUA) – 12.750

22: Miguel Pupo (BRA) – 12.700

——–outros top-34 do Brasil:

28: Alejo Muniz (BRA) – 10.250 pontos

29: Jadson André (BRA) – 7.750

38: Alex Ribeiro (BRA) – 3.000