Brasileiros se destacam no QS 6000 das Ilhas Açores em Portugal

By abrasp | 8 de setembro de 2016 | Notícias

Os brasileiros comandaram o show nos primeiros dias do QS 6000 Azores Airlines Pro, iniciado na terça-feira na Praia de Monte Verde da ilha de São Miguel, nos Açores, em Portugal. Com 28 inscritos, o Brasil formou o maior pelotão entre os 144 participantes de 25 países e também conseguiu a maioria das vagas para a rodada dos 48 melhores, com quatorze passando pelas duas primeiras fases nas Ilhas Açores. Os brasileiros também fizeram as melhores apresentações dentro d´água, com o pernambucano Ian Gouveia e o catarinense Yago Dora encabeçando as listas dos recordes do campeonato.

Ian Gouveia (Foto: Laurent Masurel - WSL)
Ian Gouveia (Foto: Laurent Masurel – WSL)

As manobras aéreas arrancaram as maiores notas nas direitas e esquerdas de 3-5 pés da quarta-feira na Praia de Monte Verde. O catarinense surfou duas ondas no critério excelente para totalizar imbatíveis 17,60 pontos, não dando qualquer chance para os seus adversários com as notas 9,10 e 8,50 que recebeu em suas duas melhores apresentações na segunda bateria da segunda fase. Na quarta, Ian Gouveia voou num aéreo rodando perfeito para ganhar 9,47 dos juízes e registrar o segundo maior placar do Azores Airlines Pro, 16,47 pontos.

A vitória do filho mais jovem de Fabio Gouveia aconteceu na primeira das duas baterias seguidas com participação tripla do Brasil. Na disputa pela segunda vaga do confronto vencido por Ian Gouveia, o australiano Dion Atkinson superou o paulista David do Carmo e o cearense Messias Felix. No seguinte, o catarinense Yuri Gonçalves e o baiano Marco Fernandez concretizaram uma dobradinha brasileira, mas acabaram eliminando o cearense Michael Rodrigues, que vinha de um vice-campeonato no QS 6000 de Pantin encerrado domingo passado na Espanha. O havaiano Makai McNamara ficou em último.

O carioca Lucas Silveira e o catarinense Tomas Hermes também festejaram uma classificação dupla do Brasil no fim do dia, sobre o português Vasco Ribeiro e o chileno Guillermo Satt. E a bateria seguinte, a penúltima da quarta-feira, foi encerrada com uma dobradinha sul-americana do brasileiro Alan Donato e do argentino Santiago Muniz, sobre o japonês Takumi Nakamura e o sul-africano Beyrick De Vries. Além dos quatorze brasileiros e do argentino, o uruguaio Marco Giorgi completa o pelotão sul-americano que continua na disputa do título do QS 6000 Azores Airlines Pro em Portugal.

PARTICIPAÇÃO TRIPLA – São tantos surfistas da América do Sul que apenas três das doze baterias da terceira fase não terão pelo menos um disputando classificação para a rodada dos 24 melhores do campeonato que prossegue até domingo nas Ilhas Açores. Em duas, serão três brigando por duas vagas. Defendendo a sétima posição no ranking do WSL Qualifying Series, Deivid Silva está em uma delas, a sexta bateria, junto com o também paulista Hizunomê Bettero, o pernambucano Luel Felipe e o francês Diego Mignot. A outra é a 11.a, com o carioca Lucas Silveira, o argentino Santiago Muniz e o uruguaio Marco Giorgi, enfrentando o espanhol Aritz Aranburu.

Yago Dora (Foto: Laurent Masurel - WSL)
Yago Dora (Foto: Laurent Masurel – WSL)

A terceira fase vai começar com o recordista de pontos do Azores Airlines Pro, Yago Dora, disputando as duas primeiras vagas com o japonês Hiroto Arai e os australianos Dion Atkinson e Yadin Nicol. Na segunda, o dono da maior nota, Ian Gouveia, enfrenta mais dois australianos, Connor O´Leary e Shane Campbell, além de Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião. Na terceira, o paulista Samuel Pupo e o catarinense Yuri Gonçalves, que estrearam com uma dobradinha brasileira na terça-feira, voltam a competir juntos, contra o norte-americano Patrick Gudauskas e Charles Martin, da Ilha Guadalupe.

No confronto seguinte, o baiano Marco Fernandez compete sozinho contra o australiano Mitch Coleborn, o sul-africano Michael February e Ricardo Christie, da Nova Zelândia. Depois, tem a primeira participação tripla na sexta bateria e na nona entram mais dois brasileiros, o paulista Victor Bernardo e o catarinense Matheus Navarro, contra o havaiano Ezekiel Lau e o português Frederico Morais.

Na décima, o catarinense Willian Cardoso encara o líder do WSL Qualifying Series, Leonardo Fioravanti, da Italia, o norte-americano Ian Crane e o costa-ricense Noe Mar McGonagle. A 11.a é a dos três sul-americanos e as duas últimas vagas para a quarta fase terão mais dois surfistas do Brasil contra o francês Joan Duru e o australiano Wade Carmichael, o pernambucano Alan Donato e o catarinense Tomas Hermes, que defende a última posição no grupo dos dez surfistas que o WSL Qualfiying Series indica para completar a elite dos top-34 da World Surf League.

Marco Fernandez (Foto: Laurent Masurel - WSL)
Marco Fernandez (Foto: Laurent Masurel – WSL)

MAIORIA BRASILEIRA – O QS 6000 Azores Airlines Pro começou com maioria brasileira de 28 surfistas entre os 144 participantes. O segundo maior pelotão era da Austrália, com 25 inscritos, seguido pelos Estados Unidos com quatorze e pelos donos da casa, com onze portugueses, mesmo número de atletas da França e do Havaí. Depois, vinha o Japão com sete, África do Sul com seis, Peru e Espanha com quatro cada um, Chile e Guadalupe com três, Argentina, Nova Zelândia, Costa Rica e Ilha Reunião com dois e com um o Uruguai, Itália, Inglaterra, Marrocos, Taiti, Indonésia, Porto Rico, Barbados e São Bartolomeu.

Depois das duas fases realizadas na terça e na quarta-feira, o Brasil manteve maioria entre os 48 de dezenove países que continuam na disputa do título em Portugal, com quatorze surfistas. A lista prossegue com nove concorrentes da Austrália, cinco dos Estados Unidos, quatro da França, dois da Espanha e quatorze nações têm um surfista na briga, a Itália do líder do ranking, Leonardo Fioravanti, Portugal, Argentina, Uruguai, Havaí, Japão, Nova Zelândia, África do Sul, Marrocos, Taiti, Costa Rica e as ilhas de Guadalupe, São Bartolomeu e Reunião.

Além da etapa masculina do QS 6000, o Azores Airlines Pro também está promovendo uma prova feminina do QS 1500 em Portugal e as duas competições estão sendo transmitidas ao vivo pelo www.worldsurfleague.com