Caio Ibelli vence e Medina fica na terceira fase do Rip Curl Pro Bells

By abrasp | 28 de março de 2016 | Notícias

Os estreantes na elite aprontaram para cima dos tops da World Surf League na Austrália, derrubando favoritos e campeões mundiais na segunda-feira de mar difícil em Bells Beach. Apesar dos grandes intervalos entre as séries, sempre entravam algumas ondas boas de 4-6 pés nas baterias para fechar a terceira fase do Rip Curl Pro. O novato Caio Ibelli ganhou com uma virada espetacular do havaiano John John Florence. Joel Parkinson já tinha sido barrado pelo americano Conner Coffin, Kelly Slater também perdeu e outro campeão mundial caiu na última do dia, Gabriel Medina, eliminado pelo australiano Davey Cathels na pior hora do mar em Bells Beach.

As condições estavam tão ruins que a comissão técnica decidiu parar o evento depois dessa última bateria da terceira fase. A primeira rodada classificatória para as quartas de final ficou para a terça-feira, com a primeira chamada as 8h00 em Bells Beach, 18h00 da segunda-feira pelo fuso horário de Brasília. Com a vitória de Caio Ibelli, três brasileiros estão entre os doze concorrentes ao título do Rip Curl Pro Bells Beach. O também paulista Wiggolly Dantas e o potiguar Italo Ferreira, já haviam passado para a quarta fase nas baterias que fecharam o domingo na Austrália.

 Caio Ibelli (Foto: WSL / Sloane)
Caio Ibelli (Foto: WSL / Sloane)

O recordista de pontos do Rip Curl Pro, Italo Ferreira, vai disputar a primeira bateria do dia, com o australiano Julian Wilson e o americano Nat Young. Wiggolly Dantas entra na segunda contra o australiano Matt Wilkinson, com sua lycra amarela do Jeep WSL Leader que não perde mais nessa etapa, e o havaiano Mason Ho, que barrou Adriano de Souza no domingo. E Caio Ibelli vai fechar a quarta fase com o taitiano Michel Bourez e o australiano Davey Cathels. Todos esperavam que esta última bateria fosse entre Kelly Slater, Gabriel Medina e John John Florence, mas os três perderam na segunda-feira cheia de surpresas em Bells Beach.

NOVATOS 3 X 0 TOPS – O dia começou normal, com Mick Fanning e Jordy Smith confirmando o favoritismo, surfando boas ondas e dominando suas baterias. Mas depois, todos os cabeças de chave foram eliminados, com os novatos na elite tirando três deles. O primeiro foi Joel Parkinson, pela nova aposta do surfe norte-americano, Conner Coffin. Na bateria seguinte, Kelly Slater foi batido por Michel Bourez. Depois, os estreantes fizeram mais duas vítimas. Caio Ibelli despachou o havaiano John John Florence atacando sua última onda de forma fantástica e o australiano Davey Cathels derrotou Gabriel Medina.

O primeiro campeão mundial do Brasil não passou da terceira fase nas duas primeiras etapas da temporada e ocupa a 22.a posição no ranking da World Surf League, última no grupo dos que são mantidos na divisão de elite para o próximo ano. Por outro lado, Caio Ibelli já aparece dividindo o quarto lugar no ranking com o também novato Conner Coffin, após o encerramento da terceira fase do Rip Curl Pro Bells Beach. Os dois e o líder do ranking, Matt Wilkinson, são os únicos que passaram para a quarta fase nas duas primeiras etapas do ano na Austrália.

 Torcida brasileira vibrou com a vitória de Caio Ibelli (Foto: WSL / Cestari)
Torcida brasileira vibrou com a vitória de Caio Ibelli (Foto: WSL / Cestari)

VIRADA NA ÚLTIMA – Caio se classificou para a elite em primeiro lugar no ranking do WSL Qualifying Series e nunca tinha competido em Bells Beach, que é uma das ondas mais difíceis de surfar do circuito. Ele abriu a bateria com nota 5,17, mas o havaiano larga na frente com 7,67. Após surfar sua segunda onda, Caio fez o sinal com as mãos para trocar de prancha, porém subiu no jet-ski para voltar ao outside com a mesma, para pegar mais uma. A nota 5,57 recebida valeu a liderança, mas logo John John responde com 5,33 para retomar a ponta. Ibelli fica precisando de 7,44 pra vencer. Ele vem numa onda maior, faz uma manobra grande muito forte, encaixa mais duas e sai do mar para trocar de prancha para os dez minutos finais da bateria. A nota foi igual a primeira do havaiano, 7,67, mas John John ainda precisava de pouco pra vencer, 5,57.

Caio ainda pega uma onda antes dele, para testar a prancha nova, que era maior, e ela funciona bem. John John vem na seguinte com seu arsenal de manobras modernas e ganha 7,83, mesma nota para o brasileiro conseguir nos cinco minutos restantes da bateria. Os dois voltam a surfar na mesma série que entrou no final, dessa vez com John John na da frente e Ibelli destruindo a de trás com quatro grandes manobras de frontside numa grande direita em Bells. O havaiano ganhou 5,27 que não mudou sua pontuação. Já a nota do brasileiro demorou a sair. Depois de uma longa análise dos juízes, a média ficou 7,87 para Caio Ibelli virar o placar para 15,54 a 15,50 pontos contra um forte concorrente ao título em Bells.

“Estou muito feliz pela vitória nessa bateria, ainda mais contra um cara como o John John (Florence), que é um surfista incrível”, disse Caio Ibelli. “Eu decidi trocar minha prancha por uma maior do que eu usei ontem (domingo) e funcionou. Eu tive que arriscar tudo naquela onda do final, era minha última chance, a prancha segurou bem as manobras e estou muito feliz mesmo por ter dado tudo certo”.

 Gabriel Medina (Foto: WSL / Sloane)
Gabriel Medina (Foto: WSL / Sloane)

MEDINA ELIMINADO – Na bateria do campeão mundial que fechou a segunda-feira, não entrou nenhuma onda grande. Elas estavam menores, mas algumas abrindo um pouco mais de parede para as manobras. O australiano Davey Cathels conseguiu uma boa sintonia com as séries e pegou as melhores que entraram na bateria para liderar desde o início. Na melhor, fez grandes arcos e batidas verticais para ganhar 8,57 e deixar o brasileiro precisando de 8,93 pontos nos cinco minutos finais.

Medina tentou de tudo, arriscou até os aéreos e, para piorar a situação, a prancha acabou se soltando da sua perna. A cordinha arrebentou e ele teve que ir remando atrás da prancha até a beira, perdendo tempo e energia. Quando chegou ao outside, ao lado do australiano que tinha a prioridade de escolha da próxima onda, restavam apenas 2 minutos para o término da bateria. O tempo foi passando, não entrou mais nada e Davey Cathels ficou com a última vaga para a quarta fase, batendo o campeão mundial por 15,40 a 12,07 pontos.

O Rip Curl Pro Bells Beach está sendo realizado junto com a igualmente segunda etapa feminina do Samsung Galaxy WSL Championship Tour com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com. A primeira chamada da terça-feira, para a quarta fase das duas competições, foi marcada para as 8h00 na Austrália, 18h00 da segunda-feira pelo fuso horário de Brasília.

——————————————————

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

——————————————————

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final e 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: Italo Ferreira (BRA), Julian Wilson (AUS), Nat Young (EUA)

2.a: Matt Wilkinson (AUS), Wiggolly Dantas (BRA), Mason Ho (HAV)

3.a: Mick Fanning (AUS), Jordy Smith (AFR), Conner Coffin (EUA)

4.a: Michel Bourez (TAH), Caio Ibelli (BRA), Davey Cathels (AUS)

TERCEIRA FASE – 13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:

———–resultados do domingo:

1.a: Italo Ferreira (BRA) 17.00 x 15.83 Sebastian Zietz (HAV)

2.a: Nat Young (EUA) 13.50 x 7.67 Stu Kennedy (AUS)

3.a: Julian Wilson (AUS) 12.44 x 9.67 Miguel Pupo (BRA)

4.a: Matt Wilkinson (AUS) 15.47 x 8.37 Kanoa Igarashi (EUA)

5.a: Wiggolly Dantas (BRA) 13.37 x 12.60 Adrian Buchan (AUS)

6.a: Mason Ho (HAV) 15.10 x 14.33 Adriano de Souza (BRA)

———–resultados da segunda-feira:

7.a: Mick Fanning (AUS) 16.60 x 11.57 Dusty Payne (HAV)

8.a: Jordy Smith (AFR) 15.33 x 13.26 Kai Otton (AUS)

9.a: Conner Coffin (EUA) 16.27 x 14.56 Joel Parkinson (AUS)

10: Michel Bourez (TAH) 14.83 x 13.70 Kelly Slater (EUA)

11: Caio Ibelli (BRA) 15.54 x 15.50 John John Florence (HAV)

12: Davey Cathels (AUS) 15.40 x 12.07 Gabriel Medina (BRA)