Chloé Calmon está nas semifinais do Mundial de Longboard

By abrasp | 23 de março de 2017 | Feminino, Notícias

A brasileira Chloé Calmon é a única que pode trazer para a América do Sul um título do World Surf League Kumul PNG World Longboard Championships 2017, que está sendo disputado desde domingo em Papua Nova Guinea. É a terceira vez consecutiva que a carioca chega as semifinais em etapas válidas para definir os campeões mundiais da modalidade que resgata o início do esporte, quando o surfe era praticado em pranchões enormes. Ela foi vice-campeã na final contra a norte-americana Tory Gilkerson na China no ano passado. Agora, a havaiana Honolua Blomfield é a sua oponente na tentativa de decidir outro título na World Surf League.

Chloé Calmon num “Hang Ten” com estilo (Foto: Tim Hain – WSL)

Na quinta-feira, o peruano Piccolo Clemente foi o último sul-americano a sair da briga do título, enquanto no feminino Chloé Calmon e Honolua Blomfield foram as melhores do dia nas boas ondas de Tupira. A brasileira ganhou nota 8,50 em sua melhor apresentação nas quartas de final, derrotando a francesa da Ilha Reunião, Alice Lemoigne, por 16,05 a 13,17 pontos. Só a havaiana bateu as marcas da carioca, atingindo 16,93 com as notas 9,00 e 7,93 recebidas nas duas últimas ondas que surfou contra a norte-americana Lindsay Steinriede, despachando a última campeã mundial (2011) da disputa do título em Papua Nova Guinea.

Na terceira fase, as duas também se destacaram nas direitas perfeitas de Tupira para o Longboard. Chloé Calmon tirou a maior nota – 9,27 – na vitória por 16,20 pontos sobre a própria Steinriede e a australiana Nava Young. E na bateria seguinte, Honolua Blomfield totalizou 17,60 com notas 9,10 e 8,50 contra Lemoigne e a japonesa Natsumi Taoka. Taoka. As duas prometem fazer um duelo eletrizante no último dia e a batalha pela outra vaga na final será entre a havaiana Crystal Walsh e a americana Kaitlin Magire.

“Hang Five” de Honolua Blomfield (Foto: Tim Hain – WSL)

A havaiana iniciou sua caminhada até as semifinais eliminando uma das três representantes da América do Sul na repescagem da primeira fase. A peruana Maria Fernanda Reyes não conseguiu achar boas ondas e Crystal Walsh venceu por uma larga vantagem de14,77 a 7,00 pontos. Na disputa seguinte, Chloé Calmon também conseguiu sua primeira vitória em Papua Nova Guinea, barrando uma surfista local, Ruthy Kurumuk, por 15,94 pontos somando o 8,17 da sua primeira onda com o 7,77 da última que surfou na bateria.

Mas, outra brasileira foi eliminada no confronto que fechou essa segunda fase, quando Lindsay Steinreide fez os recordes do campeonato contra Atalanta Batista. A pernambucana foi bicampeã sul-americana da WSL South America em 2014 e 2015, vencendo o tradicional Mundial de Longboard de Huanchaco no Peru, mas não teve qualquer chance contra a campeã mundial de 2011. A norte-americana atingiu imbatíveis 18,23 pontos somando o 9,50 e o 8,73 das duas melhores ondas e ainda surfou mais quatro boas que receberam notas acima de 7. Atalanta Batista e Maria Fernanda Reyes terminaram em 13.o lugar no campeonato.

Piccolo Clemente (Foto: Tim Hain – WSL)

TRICAMPEONATO ADIADO – Na categoria masculina, o peruano Piccolo Clemente foi o único sul-americano que disputou as quartas de final do World Surf League Kumul PNG World Longboard Championships na quinta-feira em Papua Nova Guinea. Bicampeão mundial na China em 2013 e 2015, ele dessa vez terminou em quinto lugar, sendo barrado por Antoine Delpero por 17,10 a 14,36 pontos. O francês seguiu para enfrentar o havaiano Kai Sallas na primeira semifinal e a outra vaga na decisão do título será disputada pelo norte-americano bicampeão mundial em 2011 e 2012, Taylor Jensen, e o inglês Adam Griffits.

Entre os finalistas, o grande destaque vem sendo o havaiano Kai Sallas, que tem conseguido tirar as maiores notas dos juízes com sua combinação das manobras clássicas dos pranchões com batidas e rasgadas nas direitas de Tupira. Na rodada classificatória para as quartas de final, ele alcançou incríveis 18,33 pontos de 20 possíveis para derrotar dois sul-americanos que já decidiram título mundial na China. Na briga pela segunda vaga, Piccolo Clemente superou o brasileiro Rodrigo Sphaier por 16,34 a 13,20 pontos.

Phil Rajzman (Foto: Tim Hain – WSL)

Na bateria seguinte, o Brasil saiu da briga do título em Papua Nova Guinea, com o atual campeão mundial Phil Rajzman perdendo para o francês Antoine Delpero e o australiano Harley Ingleby. O carioca terminou empatado em nono lugar com Rodrigo Sphaier, que é de Saquarema como Jeferson Silva, que já tinha sido eliminado por Antoine Delpero na terceira fase. Jeferson ficou em 13.o lugar junto com outro brasileiro, Bage Brayner, que ganhou um duelo sul-americano com o peruano Lucas Garrido Lecca na repescagem.

O World Surf League Kumul PNG World Longboard Championships está sendo transmitido ao vivo de Papua Nova Guinea pelo www.worldsurfleague.com