Disputa “caseira” pelo título estadual é uma das atrações em Ubatuba

By abrasp | 3 de outubro de 2016 | Notícias

3ª E ÚLTIMA ETAPA SERÁ SÁBADO E DOMINGO, NA PRAIA DE ITAMAMBUCA

Uma disputa “caseira” pelo título estadual será uma das atrações na final do Maresia Paulista de Surf Profissional, no sábado e no domingo (8 e 9), na Praia de Itamambuca, em Ubatuba. Com o paranaense Peterson Crisanto aparecendo como virtual dono do caneco de 2016, os surfistas de São Paulo fazem uma disputa em paralelo para definir quem será o melhor do ranking e declarado o novo campeão paulista.

Geovane Ferreira (Foto: Silvia Winik)
Geovane Ferreira (Foto: Silvia Winik)

Quatro surfistas de Ubatuba aparecem entre os top 16, mas o melhor na classificação, Wesley Leite (atual quinto colocado) desfalcará a “briga” porque estará competindo no QS na Costa Rica. Na sequência, aparecem na lista Geovane Ferreira, em sexto lugar, o experiente Odirlei Coutinho, tentando o seu terceiro título estadual, na nona colocação, e Arthur Aguiar, no 13º posto.

“Sei o quanto é importante esse título e quero deixar a minha marca dentro do Circuito. Estou muito feliz com essa chance e bem tranquilo em relação ao título, até porque tem muita gente na disputa. Claro, venho treinando muito para isso e sei que pode fazer uma grande diferença na minha carreira profissional. Quero fazer o meu trabalho a cada bateria e, se Deus quiser, comemorar no final”, afirma Geovane, que está com 24 anos.

Dono do título do Circuito em 2003 e depois campeão paulista em 2013, quando terminou o ranking como melhor do Estado em terceiro lugar (atrás de Bruno Galini/BA e Leandro Bastos/RJ), Odirlei Coutinho tem chance de repetir o feito aos 37 anos de idade. E aposta na experiência e no fator casa como vantagens. “A expectativa é ótima, por ser um evento em Itamambuca, a praia que mais gosto de surfar e uma onda perfeita e que expresas quem surfa de verdade”, destaca.

Odirlei Coutinho (Foto: Silvia Winik)
Odirlei Coutinho (Foto: Silvia Winik)

Também demonstrando calma e “correndo por fora”, Arthur Aguiar já sabe o que fazer. “Em 2014 disputei esse mesmo título, mas acabei mal nessa mesma etapa de Itamambuca. Dessa vez, estou mais tranquilo, quero deixar a pressão para quem está mais em cima do ranking, pensar em surfar bem e passar as baterias”, diz o atleta de 23 anos. “A briga está bem acirrada e muitos atletas têm chances. Vai ser uma disputa bem interessante”, acrescenta.

“Hoje o Paulista é o Circuito mais importante no cenário do surf brasileiro profissional, ainda mais nesse ano que não tivemos eventos. Ser campeão, sem dúvida, alguma, é uma conquista e tanto para um atleta no Brasil”, destaca Tuti, como é conhecido.

Além dos atletas locais, a disputa pelo título paulista conta com três representantes de Guarujá e um de São Sebastião entre os tops 16. Pela ordem, aparecem os guarujaenses Magno Pacheco, em sétimo, Gilmar Silva, em nono, Gabriel André, em 12º e Wanderson Silva, em 16º, e o sebastianense, Felipe Oliveira, ocupando a 11ª posição.

O Circuito Maresia Paulista de Surf Profissional, pelo décimo ano seguido patrocinado pela Maresia, define o campeão estadual da temporada e também vale pontos para o ranking Abrasp, atraindo surfistas de vários estados. A premiação é de R$ 30 mil por etapa, com R$ 8 mil ao vencedor. Há, ainda, a Overboard Expression Session, valendo R$ 1 mil ao autor da manobra mais radical. O público concorre a duas pranchas New Advance, uma para quem estiver na praia e outra para os internautas que acompanham a transmissão ao vivo pelo www.maresia.com.br.

O Maresia Paulista de Surf Profissional 2016 tem os patrocínios da rede de lojas Overboard, Casio G-Shock, K Energy Drink e pranchas New Advance. Apoio da BeeNoculus. A realização é da Federação Paulista de Surf, com apoios do Governo do Estado de São Paulo/Secretaria da Juventude Esporte e Lazer, prefeituras de Guarujá, São Sebastião e Ubatuba, associações de Surf de Guarujá e de São Sebastião e Ubatuba de Surf, com divulgação de Waves.

Por: FMA Notícias

RANKING DO MARESIA PAULISTA – APÓS 2 ETAPAS

1 Peterson Crisanto – PR – 1.000

2 Jihad Kohdr – PR – 1.415

3 Raoni Monteiro – RJ – 1.230

4 Alandreson Martins – RJ – 1.130

5 Wesley Leite – Ubatuba – 1.020

6 Geovane Ferreira – Ubatuba – 1.005

7 Magno Pacheco – Guarujá – 990

8 José Francisco – PB – 950

9 Gilmar Silva – Guarujá – 900

9 Odirley Coutinho – 900

11 Felipe Oliveira – São Sebastião – 875

12 Gabriel André – Guarujá – 850

13 Arthur Silva – CE – 820

13 Arthur Aguiar – Ubatuba – 820

15 Cainã Barletta – SC -800

16 Wanderson Silva – Guarujá – 770