Italo e Wiggolly chegam as quartas de final e Conlogue é campeã!

By abrasp | 1 de abril de 2016 | Notícias

O potiguar Italo Ferreira e o paulista Wiggolly Dantas venceram as duas primeiras vagas para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach, que será encerrado neste sábado na Austrália, noite de sexta-feira no Brasil. Depois de três dias de espera, um novo swell chegou com ondas perfeitas de 4-6 pés no Bowl de Bells, para os brasileiros fazerem grandes manobras de backside nas baterias que abriram a sexta-feira. O paulista Caio Ibelli perdeu a dele, mas tem outra chance para disputar a última vaga com o sul-africano Jordy Smith, depois do bicampeão dessa etapa, Mick Fanning, enfrentar o novato Davey Cathels. A primeira chamada para este duelo australiano foi marcada para as 7h30 do sábado na Austrália, 17h30 da sexta-feira pelo fuso horário de Brasília, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

 Courtney Conlogue festejando a primeira vitória no Rip Curl Pro Bells Beach (Foto: WSL / Cestari)
Courtney Conlogue festejando a primeira vitória no Rip Curl Pro Bells Beach (Foto: WSL / Cestari)

As duas primeiras baterias das quartas de final são as únicas que já estão formadas. Italo Ferreira enfrenta o norte-americano Nat Young na primeira e a segunda será entre Wiggolly Dantas e o australiano Matt Wilkinson. Wiggolly é o único surfista que não perdeu nenhuma bateria esse ano em Bells Beach e na sexta-feira acabou com a invencibilidade de Wilkinson competindo com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, que não perde mais nessa etapa. Entre os dez surfistas que continuam na disputa do título da segunda etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2016, apenas Mick Fanning já venceu o Rip Curl Pro Bells Beach, quatro vezes com o bicampeonato nos dois últimos anos.

São nove querendo badalar o sino do troféu pela primeira vez, feito que a norte-americana Courtney Conlogue já conseguiu na categoria feminina encerrada na sexta-feira. As meninas também tiveram a chance de competir em ótimas condições e a vitória no Rip Curl Women´s Pro Bells Beach foi conquistada numa onda incrível que valeu nota 9,03. Com ela, a californiana virou para 16,53 a 16,43 pontos o placar da final com a australiana Sally Fitzgibbons. Courtney já entrou na decisão do título com a lycra amarela do Jeep WSL Leader garantida quando passou pela havaiana Tatiana Weston-Webb nas semifinais.

“Eu fui muito confiante para obter a pontuação que eu precisava naquela última onda, tentando colocar um pouco mais de pressão de manobras. Eu sabia que precisava de uma nota oito e pouco, mas queria um nove. Eu vi que poderia muito bem perder o evento, então joguei tudo naquela onda e foi incrível”, contou Courtney Conlogue. “Estou muito feliz por estar começando bem o ano, com um primeiro lugar aqui e um segundo lá em Snapper (Gold Coast). Ainda tem uma longa temporada pela frente e obviamente que eu quero ganhar o título mundial, mas não vai ser uma tarefa fácil. Sei que tive um bom começo, mas ainda tem oito etapas pela frente e tudo pode acontecer”.

 Courtney Conlogue (Foto: WSL / Sloane)
Courtney Conlogue (Foto: WSL / Sloane)

A nova campeã do Rip Curl Women´s Pro Bells Beach já começou bem o dia, vingando a derrota na final da primeira etapa na Gold Coast para Tyler Wright. Depois, ultrapassou a australiana no ranking quando venceu a havaiana Tatiana Weston-Webb nas semifinais. Foi mais uma bateria impecável da californiana nas direitas de Bells Beach, somando notas 8,50 e 8,33 contra 8,00 e 7,67 no resultado encerrado em 16,83 a 15,67 pontos. Courtney Conlogue agora vai defender a liderança no ranking da World Surf League na etapa de Margaret River que ela venceu no ano passado. A próxima é no Brasil, o Oi Rio Pro nas ondas do Postinho da Barra da Tijuca, de 10 a 21 de maio no Rio de Janeiro.

A australiana Sally Fitzgibbons também fez grandes apresentações em Bells, se recuperando do pior resultado da sua carreira, o último lugar na Gold Coast pela primeira vez em etapas do CT. No Rip Curl Pro ela já tem três vitórias e seu grande momento na sexta-feira foi na onda da semifinal contra a havaiana Carissa Moore, acertando uma série de manobras potentes para receber nota 9,33 dos juízes. Com ela, eliminou a tricampeã mundial e tricampeã consecutiva do Rip Curl Pro, por 16,16 a 15,37 pontos. Com o vice-campeonato, Sally subiu para a sétima posição no ranking agora liderado por Courtney Conlogue.

“Descer e subir essas escadas (de acesso à praia) por quatorze anos que venho aqui, você nunca fica velha”, brincou Sally Fitzgibbons. “Eu adoro quando minha adversária está no seu melhor momento. A Courtney (Conlogue) esteve em grande forma neste evento inteiro e quando vejo minha adversária indo lá fora tentando o seu melhor, é muito desafiador para mim. Eu mal posso esperar pelo próximo campeonato, para ir elevando o meu nível para ficar cada vez melhor e melhor para enfrentar minhas concorrentes”.

 Italo Ferreira (Foto: WSL / Cestari)
Italo Ferreira (Foto: WSL / Cestari)

VITÓRIAS BRASILEIRAS – Depois da final feminina, a programação era rolar as duas últimas baterias da quinta fase masculina para fechar o dia. Mas, a maré enchendo já estava interferindo na boa condição do mar em Bells Beach e a comissão técnica decidiu adiar o duelo de Mick Fanning para o último dia do Rip Curl Pro, que pode acabar no sábado ou no domingo. O australiano foi mandado para a repescagem pela nova aposta do surfe americano, Conner Coffin, logo após as duas vitórias brasileiras que abriram a sexta-feira em Bells Beach.

O potiguar Italo Ferreira entrou na primeira do dia e começou bem com 6,5 para depois garantir a vitória com o 7,5 da sua terceira e última onda surfada na bateria. Seus adversários só tiveram duas oportunidades cada um, devido aos longos intervalos entre as séries do início da manhã. O australiano Julian Wilson ficou em último com 8,60 pontos e o norte-americano Nat Young em segundo com 10,93, contra 14,00 do brasileiro que conquistou a primeira vaga para as quartas de final do Rip Curl Pro 2016.

A segunda foi vencida por Wiggolly Dantas, também surfando de backside nas direitas de Bells Beach. O surfista de Ubatuba foi preciso na escolha das ondas e botou pressão nas manobras para arrancar notas 7,17 e 8,20 na última, que sacramentou a primeira derrota de Matt Wilkinson com a lycra amarela do Jeep WSL Leader. O australiano ficou em segundo com 12,20 pontos e o brasileiro totalizou 15,37. O havaiano Mason Ho, algoz do campeão mundial Adriano de Souza na terceira fase, ficou em último com 10,93, mesmo tendo a maior nota da bateria, 8,70.

Wiggolly Dantas (Foto: WSL / Sloane)
Wiggolly Dantas (Foto: WSL / Sloane)

VIRADA NA CONTA EXATA – Matt Wilkinson voltou ao mar depois das semifinais femininas e venceu um duelo emocionante contra o também australiano Julian Wilson. Ambos surfaram ótimas ondas e o confronto terminou empatado em 16,57 pontos. Isto porque o líder do ranking achou uma onda no final que abriu a parede para ele arriscar grandes manobras, pois tinha que tirar uma nota excelente para vencer. E Wilko conseguiu exatamente os 9,57 pontos que precisava para ganhar no desempate da maior nota computada, já que a do oponente era 8,90. Com a vitória, Wilkinson vai voltar a enfrentar Wiggolly Dantas nas quartas de final e o brasileiro é o único invicto em baterias em Bells Beach esse ano.

Além de Wiggolly e Italo Ferreira, o paulista Caio Ibelli também está vivo no Rip Curl Pro. Ele só conseguiu surfar uma onda que valeu nota 8,0 na bateria que fechou a primeira rodada classificatória para as quartas de final e a vaga ficou com o taitiano Michel Bourez por 13,36 pontos. O australiano Davey Cathels também só pegou uma onda e ficou em último com 6,43. Caio Ibelli agora pode aproveitar a segunda chance na disputa pela última vaga com o sul-africano Jordy Smith, derrotado junto com Mick Fanning pelo norte-americano Conner Coffin.

O Rip Curl Pro Bells Beach vai fechar a segunda etapa do Samsung Galaxy WSL Championship Tour 2016 neste fim de semana com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com. A primeira chamada do sábado foi marcada para as 7h30 na Austrália, 17h30 da sexta-feira pelo fuso horário de Brasília.

——————————————————

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

——————————————————

QUARTAS DE FINAL DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

1.a: Italo Ferreira (BRA) x Nat Young (EUA)

2.a: Matt Wilkinson (AUS) x Wiggolly Dantas (BRA)

3.a: Conner Coffin (EUA) x vencedor da 3.a bateria da Quinta Fase

4.a: Michel Bourez (TAH) x vencedor da 4.a bateria da Quinta Fase

QUINTA FASE – Vitória=Quartas de Final e Derrota=9.o lugar com 4.000 pontos e US$ 12.750:

1.a: Nat Young (EUA) 16.83 x 11.67 Mason Ho (HAV)

2.a: Matt Wilkinson (AUS) 16.57 x 16.57 Julian Wilson (AUS) =maior nota 9.57 x 8.90

———-ficaram para abrir o último dia:

3.a: Mick Fanning (AUS) x Davey Cathels (AUS)

4.a: Jordy Smith (AFR) x Caio Ibelli (BRA)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final e 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: 1-Italo Ferreira (BRA)=14.00, 2-Nat Young (EUA)=10.93, 3-Julian Wilson (AUS)=8.60

2.a: 1-Wiggolly Dantas (BRA)=15.37, 2-Matt Wilkinson (AUS)=12.20, 3-Mason Ho (HAV)=10.93

3.a: 1-Conner Coffin (EUA)=16.86, 2-Mick Fanning (AUS)=15.44, 3-Jordy Smith (AFR)=15.30

4.a: 1-Michel Bourez (TAH)=13.36, 2-Caio Ibelli (BRA)=8.00, 3-Davey Cathels (AUS)=6.43

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO RIP CURL WOMEN´S PRO:

Campeã: Courtney Conlogue (EUA) por 16,53 pontos (9,03+7,50) – US$ 60.000 e 10.000 pontos

Vice-campeã: Sally Fitzgibbons (AUS) com 16.43 (notas 8.33+8.10) – US$ 30.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 18.250 de prêmio:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 16.16 x 15.37 Carissa Moore (HAV)

2.a: Courtney Conlogue (EUA) 16.83 x 15.67 Tatiana Weston-Webb (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos e US$ 13.250 de prêmio:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 15.60 x 13.33 Alessa Quizon (HAV)

2.a: Carissa Moore (HAV) 19.23 x 13.26 Stephanie Gilmore (AUS)

3.a: Courtney Conlogue (EUA) 15.00 x 13.13 Tyler Wright (AUS)

4.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) 12.67 x 11.67 Johanne Defay (FRA)

RANKING FEMININO DA WORLD SURF LEAGUE – 2 etapas:

1.a: Courtney Conlogue (EUA) – 18.000 pontos

2.a: Tyler Wright (AUS) – 15.200

3.a: Carissa Moore (HAV) – 13.000

4.a: Johanne Defay (FRA) – 11.700

4.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) – 11.700

6.a: Stephanie Gilmore (AUS) – 10.400

7.a: Sally Fitzgibbons (AUS) – 9.750

8.a: Malia Manuel (HAV) – 8.500

9.a: Alessa Quizon (HAV) – 6.950

9.a: Sage Erickson (EUA) – 6.950

——as top-10 ficam na elite para 2017:

11: Bianca Buitendag (AFR) – 6.600 pontos

11: Nikki Van Dijk (AUS) – 6.600

11: Bronte Macaulay (AUS) – 6.600

14: Keely Andrew (AUS) – 5.050

15: Lakey Peterson (EUA) – 3.500

15: Coco Ho (HAV) – 3.500

15: Laura Enever (AUS) – 3.500

15: Chelsea Tuach (BRB) – 3.500