Jessé Mendes é o campeão do QS 10000 Billabong Pro Cascais

By abrasp | 2 de outubro de 2016 | Notícias

O paulista Jessé Mendes, 23 anos, faturou o título do QS 10000 Billabong Pro Cascais em Portugal e entrou no grupo dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 da World Surf League. A bateria final foi contra o francês Jeremy Flores, 28, e outros dois brasileiros que estão na zona de classificação para o CT ficaram nas semifinais, Ian Gouveia, 23, e Bino Lopes, 28 anos. Eles estavam fechando o G-10 e agora subiram para a quarta e quinta posições no ranking, respectivamente. Já Deivid Silva, 21, saiu da lista, mas pode recuperar a vaga já na próxima etapa importante, o QS 6000 Hang Loose Pro Contest, que vai celebrar os 30 anos da sua estreia no Circuito Mundial, nos dias 1 a 6 de novembro na Praia de Joaquina, em Florianópolis, na Ilha de Santa Catarina.

Jesse Mendes (Foto: Poullenot - WSL)
Jesse Mendes (Foto: Poullenot – WSL)

As condições do mar na Praia do Guincho estavam difíceis no sábado, com séries irregulares de 2-3 pés afetadas pelos fortes ventos em Cascais no último dia. O top da elite do CT, Jeremy Flores, largou na frente com notas 6,00 e 5,67 nas suas primeiras ondas. O brasileiro só iniciou uma reação no meio da bateria, quando acertou um aéreo que valeu 5,93. No entanto, logo o francês deu o troco com 6,67 e nos cinco minutos finais pegou uma longa direita para ampliar a vantagem com nota 7,33. Jessé manteve a calma e respondeu com duas grandes manobras numa boa onda para arrancar 8,67 dos juízes e na última conseguiu nota 6,87 para virar o placar para 15,54 a 14,00 pontos.

“Eu estava completamente perdido lá fora (no mar) e o Jeremy (Flores) já tinha duas boas notas”, contou Jessé Mendes, após a vitória mais importante da sua carreira. “Felizmente, as ondas entraram para mim no final e eu fiz o meu máximo para conseguir as notas que precisava para vencer. Foi incrível e nem sei o que estou sentindo agora. Hoje (sábado) foi um dia muito emocionante, o evento todo foi insano, eu consegui surfar bem várias baterias e este é o melhor momento da minha vida, sem dúvidas”.

Com os 10.000 pontos da vitória no Billabong Pro Cascais, Jessé Mendes saltou da 44.a para a décima posição no ranking do WSL Qualifying Series, que, no momento, está classificando até o 11.o colocado para o CT do ano que vem. Mesmo com o vice-campeonato, Jeremy Flores também entrou no G-10, subindo do 18.o para o sexto lugar com os 8.000 pontos recebidos em Portugal. O francês tenta garantir sua permanência na elite dos top-34 pelo ranking de acesso da World Surf League, pois está fora do grupo dos 22 primeiros do CT que são mantidos para o ano que vem.

Jeremy Flores (Foto: Poullenot - WSL)
Jeremy Flores (Foto: Poullenot – WSL)

“Esse evento é, talvez, um dos mais difíceis do QS em todo o mundo, pois as condições do mar mudam muito. Competimos em vários tipos de ondas e contra surfistas muito talentosos”, disse Jeremy Flores. “Estou amarradão por ter conseguido mostrar um bom surfe em várias baterias. Este resultado certamente aumenta minha confiança, mas meu próximo campeonato em casa (etapa do CT na França que começa terça-feira em Hossegor) será totalmente diferente. É um outro tipo de onda e um nível de surfe bem mais elevado também”.

Jeremy Flores impediu uma decisão verde-amarela no Billabong Pro Cascais ao barrar um dos destaques do evento, o pernambucano Ian Gouveia, na segunda semifinal. O filho mais jovem do grande ídolo, Fabio Gouveia, vinha surfando de forma impressionante em Portugal, sempre conseguindo notas excelentes com um ataque explosivo nas ondas da Praia do Guincho. No sábado, ele tirou um 9,50 para despachar o norte-americano Tanner Gudauskas nas quartas de final e na semifinal ganhou um 9,67. Foi a maior nota da bateria, mas Jeremy Flores somou um 9,00 com 8,13 para vencer por 17,13 a 15,44 pontos.

VITÓRIAS BRASILEIRAS – Com os 6.500 pontos do terceiro lugar no QS 10000 de Cascais, Ian Gouveia passou a ser o brasileiro mais bem colocado no ranking de acesso para o CT 2017, em quarto lugar. Foi ele quem iniciou a série de três vitórias brasileiras nas etapas que fecharam a “perna europeia” do WSL Qualifying Series, conquistando o título do QS 6000 Azores Airlines Pro, também em Portugal. Antes, Ian tinha ficado em quarto lugar na final do QS 6000 de Pantin, na Espanha. Depois das Ilhas Açores, o paulista Deivid Silva foi o campeão do QS 1500 de Marrocos na semana passada e Jessé Mendes ganhou agora o terceiro QS 10000 do ano, novamente em Portugal.

Ian Gouveia (Foto: Poullenot - WSL)
Ian Gouveia (Foto: Poullenot – WSL)

“Eu nem consigo descrever este momento da minha vida. Eu não tinha nenhum bom resultado antes da perna europeia e fiz duas finais, um quinto lugar em Marrocos e um terceiro num QS 10000. Isso é incrível”, disse Ian Gouveia. “Vou ver como será o restante do ano, mas definitivamente minha cabeça já está no CT e vou fazer de tudo para chegar lá. Eu me tornei pai recentemente e agora aumenta minha responsabilidade. Eu tenho treinado bastante e as coisas estão acontecendo para mim, então espero que continue assim até o final do ano”.

DUELOS BRASILEIROS – Já a semifinal 100% brasileira foi uma batalha de notas na casa dos 7 pontos. O baiano Bino Lopes surfou bem e somou 7,23 com 7,13, mas Jessé Mendes parecia abençoado e computou notas 7,83 e 7,33, descartando ainda um 7,30 e um 7,00 do placar encerrado em 15,16 a 14,36 pontos. Os dois já tinham vencido confrontos verde-amarelos nas oitavas de final disputadas na sexta-feira. Foi quando Jessé conseguiu uma nota 10 dos juízes para derrotar o jovem catarinense Yago Dora por 17,67 pontos.

Na disputa seguinte, o francês Joan Duru barrou o bicampeão do Billabong Pro Cascais em 2013 e 2014, o potiguar Jadson André, para assumir a terceira posição no ranking. No sábado, Duru perdeu o primeiro duelo do dia para o campeão Jessé Mendes. Já o baiano Bino Lopes derrotou o paulista Hizunomê Bettero, que vinha surfando de forma incrível as ondas da Praia do Guincho. Mesmo parando nas semifinais, Bino Lopes comemorou o terceiro lugar, pois saiu da rabeira do G-10 para a quinta posição no ranking com os 6.500 pontos de Portugal.

Bino Lopes (Foto: Masurel - WSL)
Bino Lopes (Foto: Masurel – WSL)

“Foi um grande resultado também, muito importante para alcançar meu objetivo de entrar no CT”, disse Bino Lopes. “Eu quero parabenizar o Jessé (Mendes), pois ele fez uma bateria impecável com uma boa estratégia. Eu cometi alguns erros, mas sinto que venho melhorando a cada bateria e surfando de forma bem mais consistente nas competições. Eu realmente não gosto de pensar no futuro, prefiro manter o foco no presente e estou super feliz com o que está acontecendo na minha vida agora, então quero desfrutar cada momento de tudo isso”.

Outros brasileiros também ganharam várias posições no ranking do WSL Qualifying Series no QS 10000 Billabong Pro Cascais, como os que perderam nas oitavas de final que fecharam a sexta-feira e marcaram 3.700 pontos pelo nono lugar em Portugal. O catarinense Tomas Hermes também ultrapassou o paulista Deivid Silva para se manter bem próximo da zona de classificação para o CT, em 13.o lugar. Deivid saiu do G-10 depois de muito tempo e agora é o 14.o colocado. O 18.o é o cearense Michael Rodrigues, que não foi bem em Portugal. Já o catarinense Yago Dora saltou de 47 para 26 no ranking e o paulista Hizunomê Bettero pulou da 57.a para a 33.a posição. Entre os dois, estão o argentino Santiago Muniz na 29.a e o capixaba Krystian Kymerson na trigésima.

Jesse Mendes (Foto: Poullenot - WSL)
Jesse Mendes (Foto: Poullenot – WSL)

PRÓXIMAS ETAPAS – A batalha pelas dez vagas para o Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour de 2017 entra agora na sua reta final. A próxima etapa importante é o QS 6000 Hang Loose Pro Contest no Brasil, de 1 a 6 de novembro na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC), onde o campeonato mais tradicional da América Latina estreou em 1986 trazendo o Circuito Mundial de volta para o Brasil. Será a última parada antes das duas provas do QS 10000 que vão fechar a temporada em Haleiwa e Sunset Beach no Havaí, entre os dias 12 de novembro e 6 de dezembro na ilha de Oahu.