Líderes eliminados na volta do Outerknown Fiji Pro

By abrasp | 13 de junho de 2017 | Notícias

As ondas finalmente reapareceram em Cloudbreak para a continuação do Outerknown Fiji Pro depois de uma semana de espera na ilha de Tavarua. A terça-feira foi um dia sem tubos, só de manobras, com as séries de 4-5 pés variando bastante a cada momento e provocando grandes surpresas nas oito baterias que restavam para fechar a terceira fase. Os ponteiros do ranking foram eliminados e Adriano de Souza teve a chance de tirar a lycra amarela do Jeep WSL Leader de John John Florence na última bateria do dia. Ele chegou perto disso em sua última onda, mas faltou meio pontinho para superar o australiano Stu Kennedy.

Wiggolly Dantas (Foto: Ed Sloane – WSL)

Por menos ainda, 13 décimos, Wiggolly Dantas tinha perdido o duelo anterior, na outra única participação brasileira na terça-feira em Fiji. Com as derrotas, apenas Italo Ferreira e Ian Gouveia seguem na disputa do título no quinto desafio do World Surf League Championship Tour. Eles garantiram duas chances de classificação para as quartas de final na segunda-feira da semana passada, derrotando dois campeões em Fiji, Gabriel Medina e Owen Wright, respectivamente.

Oito dias depois, os cabeças de chave das baterias continuaram sendo dizimados pelos surfistas da parte de baixo do ranking. Com as condições irregulares do mar na terça-feira, quem conseguia pegar as melhores ondas acabava levando vantagem, então uma boa escolha ganhou peso decisivo, além de um pouco de sorte.

Foi assim que o italiano Leonardo Fioravanti arrancou notas 8,50 e 8,33 dos juízes, usando a força do seu backside em grandes manobras para bater o número 1 do Jeep WSL Leader. A vitória sobre John John Florence foi por 16,83 a 13,33 pontos. Antes, o tricampeão mundial Mick Fanning já havia perdido o primeiro confronto do dia para o taitiano Michel Bourez.

Depois da saída do havaiano, caiu um dos vice-líderes, o sul-africano Jordy Smith. O francês Joan Duru começou a bateria numa onda que abriu uma longa parede para detonar uma série de nove manobras e receber a maior nota do dia, 9,20. Ele ainda surfou outra boa onda no final que valeu 8,40 para acabar com a chance de Jordy Smith liderar o ranking com o maior placar da terça-feira, 17,60 pontos.

Joan Duru (Foto: Kelly Cestari – WSL)

O outro que poderia superar John John Florence era Adriano de Souza, no último confronto do dia. Antes, mais dois cabeças de chave perderam. O sempre favorito em Fiji, Kelly Slater, foi batido por 10,74 a 10,34 pelo australiano Connor O´Leary. E o veterano Bede Durbidge despachou outro norte-americano, Kolohe Andino. Os únicos que confirmaram a condição de cabeça de chave foram o australiano Joel Parkinson, contra o francês Jeremy Flores, e o havaiano Sebastian Zietz, contra o paulista Wiggolly Dantas.

Os dois brasileiros que competiram na terça-feira, disputaram os últimos duelos do dia. Wiggolly entrou no penúltimo e chegou a ganhar a maior nota da bateria na última onda que surfou. No entanto, ele precisava de 14 décimos a mais na média 7,63 recebida dos juízes. Com essa nota, o paulista de Ubatuba atingiu 12,80 pontos, contra 12,93 de Sebastian Zietz, ficando em 13.o lugar no Outerknown Fiji Pro.

MEIO PONTO DA LIDERANÇA – A história se repetiu para Adriano de Souza, que por meio ponto não conseguiu a vitória que valia a liderança isolada no ranking. No meio da bateria, o australiano Stu Kennedy achou uma boa onda para mostrar suas manobras e ganhar nota 8,0. Na seguinte, tirou 6,83 para abrir uma grande vantagem do brasileiro. Mineirinho só reagiu no final, depois de surfar uma onda que valeu nota 7,33 para entrar na briga.

Adriano de Souza (Foto: Ed Sloane – WSL)

Teria que fazer outra um pouco melhor que rendesse 7,51 para vencer. Ele pega uma nos últimos segundos e arrisca a primeira manobra, encaixa num tubo rápido e na saída manda mais duas manobras fortes pra finalizar. A decisão dos juízes deu nota 7,00 e a vitória de Stu Kennedy foi confirmada por meio pontinho, 14,83 a 14,33.

BRASIL EM FIJI – Com as derrotas dos paulistas Adriano de Souza e Wiggolly Dantas, o potiguar Italo Ferreira e o pernambucano Ian Gouveia, que se classificaram na segunda-feira da semana passada, são as esperanças de mais um título brasileiro no Outerknown Fiji Pro. Ambos derrotaram dois campeões nos tubos de Cloudbreak. O estreante na elite, Ian Gouveia, bateu um dos vice-líderes do ranking, Owen Wright. E Italo ganhou o duelo brasileiro com Gabriel Medina, que defendia o seu segundo título de campeão nas Ilhas Fiji.

Eles têm duas chances de classificação para as quartas de final. Ian Gouveia vai disputar a primeira vaga direta da quarta fase com os australianos Matt Wilkinson e Julian Wilson. Vice-campeão em Fiji no ano passado, Wilkinson é o único que ainda pode tirar a lycra amarela do Jeep WSL Leader de John John Florence, mas só se vencer o campeonato. Italo Ferreira entra na segunda bateria com o taitiano Michel Bourez e o italiano Leonardo Fioravanti. Nessa rodada, os derrotados se enfrentam nos duelos da quinta fase.

Por: João Carvalho – WSL South America Media Manager