Nove surfistas buscam o título

By abrasp | 4 de dezembro de 2015 | Notícias

Bino Lopes precisa passar sua bateria para superar Kymerson e Nakagima no Oi SuperSurf Saquarema

Do total de vinte surfistas que tinham chances de conquistar o título de campeão do Oi SuperSurf 2015, apenas nove continuam vivos na disputa que prossegue neste sábado na Praia de Itaúna, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O líder Bino Lopes ainda nem estreou, pois com as condições difíceis do mar na sexta-feira, só deu tempo para realizar treze baterias, restando três para abrir o sábado. A do baiano é a 16.a e última da quarta fase e ele terá que avançar para retomar a ponta do ranking, pois o capixaba Krystian Kymerson e o paulista Flavio Nakagima já ultrapassaram ele com suas classificações na primeira bateria da sexta-feira. Os três são os principais concorrentes na lista dos nove candidatos ao título do Oi SuperSurf 2015, que também brigam pela liderança do ranking brasileiro neste fim de semana em Saquarema.

O surfista da Praia Grande, Flavio Nakagima, lidera a corrida pelo caneco de campeão brasileiro desde a vitória na etapa que marcou a volta do SuperSurf depois de um hiato de 5 anos. Mas, depois do título na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), Nakagima não conseguiu bons resultados nas ondas da Praia Grande, em Ubatuba (SP), e da Joaquina, em Florianópolis (SC). Com isso, perdeu a ponta no ranking do Oi SuperSurf 2015 para Bino Lopes, que venceu em Santa Catarina, e viu aumentar o número de concorrentes para vinte surfistas na etapa final que está sendo disputada na Praia de Itaúna.

No entanto, três deles saíram da briga ao serem eliminados na quinta-feira e com suas classificações para a quinta fase na sexta-feira, Krystian Kymerson e Flavio Nakagima já acabaram com as chances de outros sete adversários. Mais um fracassou na sua bateria e restaram apenas nove candidatos ao troféu de campeão do Oi SuperSurf 2015. Apesar de pequenas, as ondas de 2-3 pés apresentavam boa formação para qualquer tipo de manobra, até as aéreas, arma que Krystian Kymerson utilizou para vencer o primeiro confronto do dia. Nakagima liderou quase toda a disputa e passou em segundo, com ambos eliminando dois surfistas muito experientes que já defenderam o Brasil na elite mundial do WCT, o cabo-friense Victor Ribas e o potiguar Danilo Costa.

“Estou muito feliz pela vitória porque a bateria foi bem disputada, com o (Flavio) Nakagima e dois atletas muito experientes do circuito brasileiro e mundial, o Victor Ribas e o Danilo (Costa), mas tive sorte em achar duas ondas muito boas para me classificar”, disse Krystian Kymerson. “Estou com minha família aqui e muito focado para conseguir um bom resultado. Ainda tem vários atletas disputando o título e estou bem concentrado no que tenho que fazer, então espero que dê tudo certo no fim de semana e que vença o melhor”.

Krystian Kymerson já havia estreado na quinta-feira, mas era a primeira vez que Flavio Nakagima entrava no mar para defender a liderança do ranking brasileiro em Saquarema. “A primeira bateria no campeonato sempre tem um nervosismo, mas usei a tática certa de sair pegando ondas e deu certo”, contou Flavio Nakagima. “No final, o Krystian (Kymerson) acabou virando para o primeiro lugar, mas o importante era passar pra próxima fase. Agora está chegando na reta final do circuito, então com certeza um bom resultado aqui vai fazer a diferença e espero conseguir fazer boas apresentações, concentrar bateria por bateria para avançar o mais longe possível na competição”.

Outra bateria envolvendo dois concorrentes ao título do Oi SuperSurf 2015 e pela liderança do ranking brasileiro foi a quinta do dia. O carioca Leonardo Neves, que mora em Saquarema, manteve a invencibilidade, mas o baiano Marco Fernandez acabou perdendo a disputa pela segunda vaga para o pernambucano Paulo Moura e saiu da briga. Léo Neves foi bicampeão brasileiro durante a década de ouro do SuperSurf em 2002 e 2003 e pode igualar um feito até agora inédito do paranaense Peterson Rosa, único a conquistar o título três vezes na história da Associação Brasileira de Surf Profissional, em 1994, 1999 e 2000.

“Eu já sabia que o dia hoje (sexta-feira) ia ser mais difícil, a previsão era do mar abaixar, o período (entre as séries) está bem fraquinho, mas ainda bem que a ondulação de Leste segura um pouco aqui em Itaúna e estou feliz por ter passado a bateria em primeiro”, disse Leonardo Neves. “Eu já imaginava que o Paulo Moura ia usar a tática dele com experiência de WCT, que era esperar pelas melhores ondas, então usei uma tática diferente de arriscar pegando mais ondas e deu certo. Espero que a organização não faça a quinta fase hoje, espere pra amanhã (sábado) porque está vindo um ciclo novo de swell (ondulação) aí e acho que as condições vão estar bem melhores pra competir aqui”.

Na bateria seguinte, Thiago Guimarães, outro concorrente ao título do Oi SuperSurf 2015, confirmou o favoritismo para também permanecer na briga pela ponta do ranking brasileiro em Saquarema. Na disputa posterior, mais dois se classificaram juntos numa bateria que só contou com três participantes, pois o catarinense Rodrigo Wazlawick não compareceu para competir. O paranaense Jihad Khodr e o paulista Hizunomê Bettero surfaram as melhores ondas que entraram e não deram qualquer chance para Mariano Arreyes, de Buzios.

“Me sinto grato de poder trabalhar e aperfeiçoar minha arte nessa esquerda que é magnífica. Essa onda é uma fortaleza de tão boa”, disse Jihad Khodr, elogiando a qualidade internacional das ondas de Itaúna. “Não sei porque o (Rodrigo) Wazlawick não veio competir, mas ficou até bom só três competidores nessa condição de mar de hoje (sexta-feira), então teve onda boa para todos darem batidas e rasgadas pra poder avançar na competição. Estou feliz por ter estreado com vitória e espero que a sorte continue do meu lado. Na verdade, eu só quero mostrar o meu trabalho, pegar boas ondas e espero que Saquarema bombe para fechar bonito o campeonato”.

O ubatubense Hizunomê Bettero pareceu mais instigado em seguir na disputa dos títulos brasileiro e do Oi SuperSurf 2015. “A batalha é longa ainda, já estou aí alguns anos tentando e estou confiante porque as coisas vêm dando certo pra mim, da metade do ano pra cá. O mar está superdifícil hoje, mas consegui achar duas ondas legais para me classificar. No final, o Mariano (Arreyes) estava com a prioridade (de escolha da próxima onda) e resolveu não ir numa onda que acabou sendo a minha melhor na bateria, então estou felizão por ter passado com o parceiro Jihad (Khodr). Só espero que o mar melhore pra galera dar um show de surfe nas próximas fases”.

PARALISAÇÃO

As condições do mar já estavam difíceis, tanto que depois desta bateria a comissão técnica decidiu paralisar a competição por causa da maré cheia na Praia de Itaúna, provocando grandes intervalos entre as séries. Foi marcada uma nova chamada para a décima bateria para as 14h00, só que a situação permanecia a mesma. Então fizeram um novo anúncio para as 14h45, depois para 15h30, quando foi reiniciada a quarta fase, mas só deu tempo para fazer até a 13.a das 16 baterias programadas para a sexta-feira. As três últimas ficaram para abrir o sábado, a partir das 7h00 na Praia de Itaúna.

Nos últimos confrontos do dia, mais dois surfistas que estão na luta pelo título do Oi SuperSurf 2015 se classificaram. O cearense Messias Felix, bicampeão brasileiro em 2009 e 2012, estreou com vitória no confronto que classificou outro campeão brasileiro, o catarinense Jean da Silva, que foi o número 1 da ABRASP em 2010. E uma dobradinha catarinense fechou a sexta-feira já com o Sol se pondo atrás da Igrejinha Nossa Senhora de Nazaré compondo o cenário na Praia de Itaúna. Willian Cardoso seguiu na disputa pelos dois rankings, mas o vencedor da bateria foi o jovem Matheus Navarro.

BRIGA PELA LIDERANÇA

A sexta-feira começou com dezessete surfistas podendo ser campeão das quatro etapas do Oi SuperSurf 2015 e de assumir a liderança no ranking brasileiro em Saquarema. Mas, logo na primeira bateria do dia, a classificação de Flavio Nakagima e Krystian Kymerson já acabou com as chances matemáticas de sete concorrentes, os paulistas David do Carmo, Renato Galvão, Odirlei Coutinho, Saulo Junior e Deivid Silva, o baiano Alandreson Martins e o capixaba Rafael Teixeira. Depois, o baiano Marco Fernandez também saiu da briga ao ser eliminado pelo pernambucano Paulo Moura na bateria vencida por um adversário direto na disputa do título do Oi SuperSurf e pela ponta do ranking nacional, Leonardo Neves.

A quarta fase foi paralisada as 12h00 depois da nona bateria, que classificou mais três concorrentes na briga pela liderança nos dois rankings, o paranaense Jihad Khodr e o paulista Hizunomê Bettero. O também paulista Thiago Guimarães já havia se classificado no confronto anterior e três dos candidatos aos títulos ainda faltavam estrear na Praia de Itaúna. Dois deles competiram no fim do dia, com o cearense Messias Felix vencendo a 12.a bateria e o catarinense Willian Cardoso passando em segundo na 13.a. Já o baiano Bino Lopes, que está na 16.a e última, só vai estrear no terceiro confronto do sábado. Se avançar para a quinta fase, Bino já retoma a liderança nos dois rankings, voltando a ficar na frente do paulista Flavio Nakagima e o capixaba Krystian Kymerson.

As quatro etapas do Oi SuperSurf 2015 são patrocinadas pela Oi, pela marca Smolder de surfwear e pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude. Os eventos têm participação especial de Furnas e realização da Casa da Árvore com a Editora Rocky Mountain da Revista Hardcore e a Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP), com transmissão ao vivo pelo www.oisupersurf.com.br. Esta quarta etapa também conta com apoio da Prefeitura de Saquarema, Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ), Associação de Surf de Saquarema (ASS) e da Rádio Cidade 102,9, a Rádio Oficial do Oi SuperSurf de Saquarema.

A OI E O ESPORTE

A Oi tem longo histórico de apoio ao esporte, com patrocínios a grandes eventos, equipes e atletas de diferentes modalidades, como basquete, judô, futebol, surfe e skate. A companhia tem grande expertise no apoio ao esporte, seja com patrocínio ou com prestação de serviços de telecomunicações em grandes competições realizadas no país. Entre os exemplos recentes, a Oi foi uma das patrocinadoras oficiais da Copa do Mundo no Brasil em 2014 e da Copa das Confederações em 2013. A companhia também apostou no basquete patrocinando o NBA Global Games Rio 2015 e o torneio NBA 3X, além de apoiar os Jogos Cariocas de Verão e o Oi Bowl Jam de skate.

A Oi também patrocinou este ano o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour (CT), e em julho fechou contrato de patrocínio com mais três surfistas brasileiros de destaque na WSL: Adriano de Souza, Filipe Toledo e Silvana Lima. Eles se juntam ao campeão mundial Gabriel Medina no time de surfistas patrocinados pela Oi.

QUINTA FASE – 3.o=17.o lugar (R$ 550 e 2.400 pontos) e 4.o=25.o lugar (R$ 350 e 2.160 pontos):
1.a: Krystian Kymerson (ES), David do Carmo (SP), Saulo Junior (SP), Magno Pacheco (SP)
2.a: Flavio Nakagima (SP), Alan Jhones (RN), Wesley Santos (SP), Marco Giorgi (SC)
3.a: Leonardo Neves (RJ), Weslley Dantas (SP), Marcos Correa (SP), Yagê Araujo (BA)
4.a: Thiago Guimarães (SP), Paulo Moura (PE), Halley Batista (PE), Cainã Barletta (SC)
5.a: Jihad Khodr (PR), Jean da Silva (SC), Simão Romão (RJ), Caetano Vargas (PR)
6.a: Hizunomê Bettero (SP), Messias Felix (CE), Rafael Teixeira (ES), Ricardo Ferreira (SP)
7.a: Matheus Navarro (SC),
8.a: Willian Cardoso (SC),

QUARTA FASE – 3.o=33.o lugar com 1.920 pontos e 4.o=49.o lugar com 1.440 pontos:
1.a: 1-Krystian Kymerson (ES), 2-Flavio Nakagima (SP), 3-Danilo Costa (RN), 4-Victor Ribas (RJ)
2.a: 1-David do Carmo (SP), 2-Marco Giorgi (SC), 3-Dunga Neto (CE), 4-Luan Carvalho (SP)
3.a: 1-Alan Jhones (RN), 2-Saulo Junior (SP), 3-Luel Felipe (PE), 4-Renato Galvão (SP)
4.a: 1-Wesley Santos (SP), 2-Magno Pacheco (SP), 3-Odirlei Coutinho (SP), 4-Douglas Noronha (SP)
5.a: 1-Leonardo Neves (RJ), 2-Paulo Moura (PE), 3-Marco Fernandez (BA), 4-Ygor Arakaki (SC)
6.a: 1-Weslley Dantas (SP), 2-Halley Batista (PE), 3-Franklin Serpa (BA), 4-Bruno Galini (BA)
7.a: 1-Cainã Barletta (SC), 2-Marcos Correa (SP), 3-Luciano Brulher (SP), 4-José Francisco (PB)
8.a: 1-Thiago Guimarães (SP), 2-Yagê Araujo (BA), 3-Pedro Scooby (RJ), 4-Sidney Guimarães (SP)
9.a: 1-Jihad Khodr (PR), 2-Hizunomê Bettero (SP), 3-Mariano Arreyes (RJ), w.o-Rodrigo Wazlawick (SC)
10: 1-Caetano Vargas (PR), 2-Ricardo Ferreira (SP), 3-Frank Cordeiro (PE), 4-Artur Silva (CE)
11: 1-Rafael Teixeira (ES), 2-Simão Romão (RJ), 3-Robson Santos (SP), 4-Diego Rosa (SC)
12: 1-Messias Felix (CE), 2-Jean da Silva (SC), 3-Tamaê Bettero (SP), w.o-Alan Donato (PE)
13: 1-Matheus Navarro (SC), 2-Willian Cardoso (SC), 3-Igor Moraes (SP), 4-Gustavo Bertotto (RS)

—————ficaram para abrir o sábado:

14: Alandreson Martins (BA) e Odarci Nonato (SP), Deivid Silva (SP), Tales Araujo (SP)
15: Samuel Igo (PB) e Artur Aguiar (SP), Dodô Veiga (SP), Felipe Ximenes (SC)
16: Bino Lopes (BA) e Lysandro Leandro (ES), Icaro Rodrigues (SP), Lucas Silveira (RJ)