Rip Curl Pro Argentina abre calendário da WSL South America

By abrasp | 5 de abril de 2017 | Notícias

O Rip Curl Pro Argentina vai promover na Semana Santa o primeiro evento da World Surf League na América do Sul pelo quinto ano consecutivo. A novidade para esse ano é que pela primeira vez as meninas também vão competir em Mar del Plata, em uma etapa do QS 1000 que será realizada junto com o já tradicional QS 1500 masculino, nos dias 10 a 16 de abril nas ondas da Playa Grande. As duas competições valem pontos no ranking mundial do WSL Qualifying Series e vão abrir a disputa pelos títulos sul-americanos da WSL South America. Ainda existem vagas para participar nas duas categorias e elas poderão ser feitas pelo sistema online do www.wslsouthamerica.com

Leandro Usuna campeão sul-americano da WSL South America em 2016 (Foto: Daniel Smorigo – WSL)

“Para nós, da WSL South America, é uma honra e um privilégio poder começar a temporada dos QS na América do Sul em Mar del Plata, na Argentina”, destaca o Tour Manager da WSL South America, Roberto Perdigão. “No ano passado, o surfista argentino Leandro Usuna, o Lelê Usuna, conquistou o título sul-americano com o maior número de pontos nos eventos realizados no nosso continente, mostrando que o surfe começa a ficar mais equilibrado entre os países sul-americanos, não é mais só o Brasil bem representado no Circuito Mundial”.

Foi no ano passado que o ídolo local, Leandro Usuna, conseguiu dois feitos inéditos para o seu país. Ele foi o primeiro argentino a chegar na final do Rip Curl Pro Argentina. Não conseguiu fazer a festa da torcida em casa, na decisão vencida pelo brasileiro Flavio Nakagima em Mar del Plata. Mas, apesar da derrota, Lelê Usuna terminou a temporada como o primeiro argentino a ser campeão sul-americano da WSL South America. O título garantiu sua participação nas principais etapas do ranking de acesso para a divisão de elite da World Surf League, com status QS 10000 e QS 6000.

Leandro Usuna acabou com hegemonia brasileira de títulos sul-americanos conquistados desde 2006. Nos dois últimos, o Rip Curl Pro Argentina foi ainda mais importante para Alex Ribeiro em 2014 e Robson Santos em 2015. Eles iniciaram a corrida dos títulos sul-americanos ganhando a etapa de abertura da temporada em Mar del Plata. A escrita só foi quebrada no ano passado, por Leandro Usuna. Ele não conseguiu impedir a série de vitórias brasileiras na Argentina, mas garantiu o título nas etapas do Brasil. Tirou a liderança do ranking de Flavio Nakagima quando se classificou para as semifinais do QS 1500 Praia do Forte Pro e o terceiro lugar na Bahia foi decisivo para se consagrar como melhor surfista da América do Sul.

Leandro Usuna vice-campeão em Mar del Plata no ano passado (Foto: Maxi Marinucci – Rip Curl Pro Argentina)

“É muito importante podermos oferecer um calendário de provas para que o nosso esporte continue evoluindo em outros países da América do Sul”, continua Roberto Perdigão. “O Chile, Peru, Argentina, Equador, vêm despontando com fortes promessas para o futuro e essa é a razão do nosso trabalho, criar um calendário que possa gerar oportunidades para os sul-americanos ascenderem ao topo da pirâmide, ao Championship Tour da World Surf League, para realizarem o sonho de todo surfista de poder competir nas melhores ondas do mundo, como Teahupoo, Pipeline, Fiji, Bells, Margaret River. E eu fico feliz pelo fato da WSL ter boas parcerias na América do Sul para construir um calendário forte aos seus atletas”.

A batalha pelos primeiros pontos no WSL Qualifying Series 2017 a serem disputados na América do Sul, terá como palco principal o pico Biologia na Playa Grande. Surfistas da Argentina, Brasil, Uruguai, Chile, Peru, México, Costa Rica e até dos Estados Unidos, já confirmaram participação no QS 1500 Rip Curl Pro Argentina. A grande atração será Leandro Usuna estreando em casa como atual campeão sul-americano da WSL South America. Os mais bem colocados irão dividir uma premiação de 25.000 dólares, com o campeão faturando 10.000 dólares.

Na inédita etapa feminina do QS 1000, serão mais 5.000 dólares. Entre as surfistas que já garantiram antecipadamente suas inscrições, estão a brasileira Tainá Hinckel e a argentina Josefina Ane, que defenderam a América do Sul no último Mundial Pro Junior da World Surf League na Austrália e ficaram lá disputando algumas provas do QS. Outros destaques que vão competir pela primeira vez no Rip Curl Pro Argentina são as peruanas Anali Gomez e Melanie Giunta, a equatoriana Dominic Barona e a chilena Lorena Fica. Já a atual campeã sul-americana, Nathalie Martins, não está na relação das que já estão confirmadas no evento.

O Rip Curl Pro Argentina será transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e as notícias em português e espanhol publicadas no www.wslsouthamerica.com com divulgação também nas mídias sociais da WSL South America no Facebook, Twitter e Instagram.