Rip Curl Pro Argentina começa com boas ondas em Mar del Plata

By abrasp | 12 de abril de 2017 | Notícias

Em boas ondas de 3-5 pés na Playa Grande de Mar del Plata, foi dada a largada na corrida pelos títulos sul-americanos da WSL South America com as primeiras fases do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino no Rip Curl Pro Argentina. Os surfistas do Brasil foram os destaques da quarta-feira. O paraibano José Francisco fez os recordes do primeiro dia – nota 8,5 e 14,50 pontos – e foi o único a superar as marcas do uruguaio Sebastian Olarte na bateria que abriu o campeonato. Entre as meninas, a paulista Camila Cássia bateu a peruana bicampeã sul-americana Anali Gomez por 13,40 pontos. Mas, a maior nota foi a 7,60 da argentina Lucia Cosoleto no segundo confronto feminino da inédita etapa do QS 1000 em Mar del Plata.

Sebastian Olarte (Foto: Maximiliano Marinucci)

A quinta edição do Rip Curl Pro Argentina começou com vitória uruguaia de Sebastian Olarte, que largou na frente com uma boa onda que valeu nota 7,25 e totalizou 14,10 pontos com o 6,85 recebido na última. Ele avançou para completar a primeira bateria da segunda fase, encabeçada pelo atual campeão sul-americano da WSL South America e local de Mar del Plata, Leandro Usuña. Além de um dos favoritos ao título na Playa Grande, o uruguaio também vai enfrentar o brasileiro Krystian Kymerson e outro argentino, Gaspar Larragneguy.

“Estou muito contente por vencer a primeira bateria com uma boa somatória”, disse Sebastian Olarte. “Eu vim para cá uma semana antes do campeonato para surfar e escolher as melhores pranchas para as ondas daqui, também aproveitando para curtir Mar del Plata. Estou muito contente por ter achado boas ondas na bateria e ter avançado em primeiro lugar”.

Duas baterias não foram disputadas porque só tinham dois competidores e exatamente dois se classificavam para a segunda fase. Os brasileiros ganharam as outras, com exceção da última, que terminou com uma dobradinha argentina. O grande destaque da quarta-feira foi o brasileiro José Francisco, que fez os recordes do dia entre os homens – nota 8,50 e 14,50 pontos – na vitória sobre o argentino Sebastian Ventura e outro brasileiro, Victor Costa.

José Francisco (Foto: Maximiliano Marinucci)

“Estou contente pela vitória, mas está muito frio. Sou brasileiro e sinto um pouco de dificuldade, mas consegui achar duas boas ondas para avançar para a próxima fase”, disse José Francisco. “Essa é a segunda vez que venho para cá e quero agradecer aos amigos que me ajudaram para chegar aqui, pois estou sem patrocínio. Espero continuar passando as baterias para chegar na final e quem sabe ganhar o campeonato, que é a grande meta”.

DOBRADINHA ARGENTINA – Igor Moraes, Mateus Sena, Pedro Mendes e Emanoel Tobias, passaram em baterias 100% brasileiras. José Neto também venceu a dele, com o argentino Sebastian Ventura ganhando a segunda vaga de Victor Costa. E a primeira fase foi encerrada com uma dobradinha argentina sobre dois brasileiros, com Lucas Santamaria e Nicolas Hermida despachando Fernando Junior e Marcus Otavio Cintra.

“Aquela última onda ali me salvou. Foi uma bateria agitada, com bastante ondas e felizmente consegui os pontos que precisava pra vencer na última onda”, disse Lucas Santamaria. “Tem muita gente boa competindo aqui e na verdade só estou tentando fazer o meu melhor. No final eu estava em terceiro lugar, aí fiquei esperando e por sorte apareceu uma onda nos últimos minutos com potencial para eu fazer a nota que precisava pra passar”.

Lucas Santamaria (Foto: Maximiliano Marinucci)

No QS 1500 masculino, os 48 surfistas mais bem colocados no ranking da World Surf League só vão estrear na segunda fase, que vai abrir a quinta-feira a partir das 8 horas na Playa Grande. O segundo dia de competições em Mar del Plata já vai começar com o ídolo local e atual campeão sul-americano da WSL South America, Leandro Usuna, estreando no Rip Curl Pro Argentina. No ano passado, ele foi o primeiro argentino a chegar na final, mas não conseguiu acabar com a hegemonia brasileira de títulos no evento realizado desde 2013, perdendo a bateria decisiva para o paulista Flavio Nakagima.

QS FEMININO – Na estreia da etapa feminina do QS 1000 no Rip Curl Pro Argentina, todas as 24 participantes já competiram no primeiro dia, pois foram divididas nas oito baterias da fase inicial que fecharam a quarta-feira em Mar del Plata. A campeã sul-americana de 2011, Dominic Barona, do Equador, confirmou o favoritismo na primeira bateria, derrotando a brasileira Marina Rezende e a argentina Abril Solis por 12,35 pontos.

“Mar del Plata é um lugar super lindo, com ondas incríveis e estou muito contente por estar aqui competindo”, disse Dominic Barona. “As meninas estão surfando superbem e senti um pouco de dificuldade porque a correnteza está muito forte, mas estou contente por ter passado em primeiro para a próxima fase. Estou treinando bastante para disputar o Circuito Mundial mais uma vez. No ano passado fui bem na Costa Rica, mas não consegui outros bons resultados e espero que esse ano seja diferente”.

Lucia Cosoleto (Foto: Maximiliano Marinucci)

Na segunda bateria, a argentina Lucia Cosoleto bateu as marcas da equatoriana, aumentando a maior nota das meninas de 6,60 para 7,60 e o placar de 12,35 para 12,60 pontos. Na briga pela segunda vaga para a próxima fase, a brasileira Yanca Costa superou a outra argentina, Flavia Cianciarulo por 11,25 a 3,85 pontos. As que passaram pela rodada inicial, já vão disputar classificação para as quartas de final do QS 1000 Rip Curl Pro Argentina na quinta-feira.

“As ondas estão muito boas, me encanta surfar em condições assim e estou feliz por ter passado para a próxima fase”, disse Lucia Cosoleto. “Esse é o primeiro QS feminino aqui na Argentina e estou muito contente em competir num evento internacional em casa. Quero aproveitar por conhecer bem as ondas daqui para tentar um bom resultado nesse evento”.

A também argentina Lucia Indurain ganhou a terceira bateria e depois começou uma série de vitórias brasileiras em Mar del Plata. A atual campeã sul-americana Pro Junior da WSL South America, Tainá Hinckel, da Guarda do Embaú (SC), superou a cabeça de chave da bateria, a chilena Lorena Fica. E na seguinte, a paulista Camila Cassia surpreendeu a bicampeã sul-americana profissional da WSL South America, Anali Gomez, derrotando a peruana com um novo recorde de 13,40 pontos, somando a segunda maior nota feminina do dia – 7,5.

“Estou muito feliz por ter conseguido surfar boas ondas e foi muito legal, apesar do frio que faz aqui”, disse Camila Cassia. “É a primeira vez que venho para a Argentina, sou de Ubatuba (SP), onde tem boas ondas também e espero conseguir continuar achando as ondas nas próximas baterias para seguir avançando na competição”.

Camila Cassia (Foto: Maximiliano Marinucci)

A sequência de vitórias brasileiras na quarta-feira continuou com Karol Ribeiro batendo duas argentinas na sexta bateria, Candela Baleani e Evelyn Gontier. Na sétima, a potiguar Givanilta Ferreira superou a uruguaia Delfina Montefiori e a peruana Leilani Aguirre. E só na última do dia, Melanie Giunta conquistou a única vitória peruana, com a brasileira Maju Freitas ganhando a disputa pela última vaga para a segunda fase da argentina Catalina Mercere.

O Rip Curl Pro Argentina está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e as notícias em português e espanhol publicadas no www.wslsouthamerica.com com divulgação também nas mídias sociais da WSL South America no Facebook, Twitter e Instagram.