Sai a nova escalação das baterias do Margaret River Pro

By abrasp | 26 de março de 2017 | Notícias

Com as contusões de última hora do brasileiro Italo Ferreira e da australiana Laura Enever, as baterias das primeiras fases masculina e feminina do Drug Aware Margaret River Pro tiveram que ser modificadas. O norte-americano Nat Young e a sul-africana Bianca Buitendag foram convocados para substitui-los e um confronto 100% verde-amarelo acabou sendo formado por três paulistas na quinta bateria. O campeão mundial Gabriel Medina e Wiggolly Dantas já tinham estreado juntos na etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2017 na Gold Coast e agora terão a companhia do reforço na seleção brasileira para Margaret River, o líder do WSL Qualifying Series, Jessé Mendes. O segundo desafio da temporada começa às 7h00 da quarta-feira na Austrália, 20h00 da terça-feira pelo fuso de Brasília, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Miguel Pupo em M-River no ano passado (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Antes da saída de Italo Ferreira, que tirou a primeira nota 10 do ano em Snapper Rocks, o pernambucano Ian Gouveia estava escalado na primeira bateria e foi transferido para a sétima, encabeçada pelo campeão do Quiksilver Pro Gold Coast, Owen Wright, que vai competir com a lycra amarela do Jeep WSL Leader em Margaret River. Agora, o primeiro brasileiro a encarar as ondas de “power havaiano” de West Australia será Miguel Pupo, na terceira bateria contra dois australianos, o vice-líder do ranking 2017 da World Surf League, Matt Wilkinson, e Jack Freestone.

Depois, vem o confronto brasileiro entre Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Jessé Mendes, na quinta e na sétima Ian Gouveia contra Owen Wright e o também australiano Connor O´Leary. Na disputa seguinte, tem uma participação dupla do Brasil com o paulista Caio Ibelli e o potiguar Jadson André enfrentando outro australiano, Joel Parkinson. E na nona bateria, o campeão do Drug Aware Margaret River Pro em 2015, Adriano de Souza, estreia junto com o australiano Adrian Buchan e o francês Jeremy Flores. Já Filipe Toledo fecha a primeira fase contra o atual campeão desta etapa, Sebastian Zietz, do Havaí, e o australiano Ethan Ewing.

FEMININO – Na categoria feminina, a australiana Laura Enever contundiu o joelho e, assim como Italo Ferreira, teve que cancelar sua participação. Com isso, as baterias também foram refeitas. A brasileira Silvana Lima estava escalada na primeira com a francesa Johanne Defay e a havaiana Malia Manuel e agora vai disputar a última, da australiana Sally Fitzgibbons e outra havaiana, Tatiana Weston-Webb. A cearense não ganhou nenhuma bateria na Gold Coast e vai tentar sua primeira vitória nas ondas poderosas de M-River.

Adriano de Souza em The Box em 2015 (Foto: Kelly Cestari – WSL)

O palco principal do Drug Aware Pro Margaret River Pro é Main Break, mas a competição também poderá acontecer em North Point ou nos temidos tubos de The Box. A primeira vez que uma etapa da World Surf League aconteceu em The Box foi em 2015, quando Adriano de Souza brilhou surfando tubos insanos no seu caminho até a conquista do título mundial daquele ano numa decisão brasileira com Gabriel Medina no Billabong Pipe Masters do Havaí. A bateria final em Margaret River foi em Main Break e Mineirinho bateu o hoje campeão mundial John John Florence.

O Drug Aware Margaret River Pro será transmitido ao vivo da Austrália pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e pelo Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, com divulgação especial também pela ESPN no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.